Deus seja Louvado.
Portuguese Chinese (Simplified) Dutch English French German Hungarian Russian Spanish

Dor Nas Costas: Você Sofre Com Este Mal?

Sedentarismo, má postura e estresse estão presentes na vida de muitos brasileiros - e são alguns dos maiores causadores de dor na coluna. De acordo com dados da Previdência Social, a dor de coluna responde por quase 160 mil licenças requisitadas por ano no país. sendo uma das causas mais frequentes de consultas e hospitalização. Esta dor está associada a fatores individuais, como ganho de peso, má postura, fraqueza muscular, falta de condicionamento físico e ocupacional, como sobrecarga excessiva gerada por levantamento de peso e pela permanência prolongada na posição sentada. Geralmente o quadro sintomatológico pode ter origem discal, ligamentar, muscular, articular (facetária) ou neural. 

O tratamento não deve ser direcionado apenas para o sintoma e sim para e estrutura que apresenta a disfunção, seja ela muscular, discal, ligamentar, etc. Entenda um pouco sobre cada uma e onde sua dor se enquadra:

- Dores de origem discal: A dor é aguda e se manifesta principalmente quando o corpo está submetido às posturas de sobrecarga. Piora na posição sentada, melhora ao deitar. Piora na flexão do tronco, melhora na extensão. Piora ao tossir ou espirrar;

- Dores de origem ligamentar: Geralmente ocorrem com a manutenção prolongada de uma posição (sentado, em pé, deitado, etc.). Também se manifesta ao final da amplitude de movimento.

- Dores de origem neural: Geralmente é uma dor do tipo projetada, irradiada. Muitas vezes vem acompanhada de formigamento, perda de força e sensibilidade. É possível descrever o trajeto da dor.

- Dores de origem muscular: A dor aparece com a contração e estiramento do músculo em disfunção. O músculo torna-se mais sensível a palpação e aparentemente mais “rígido”.

- Dores de origem articular (facetaria): A dor é localizada e precisa, aumentando com o movimento do corpo. Geralmente é uma dor pontual, piorando ao mobilizar (deslizar ou comprimir) a articulação em disfunção.

Estas foram apenas algumas dicas sobre possíveis causas de dores na coluna, não substituindo uma avaliação médica e tratamento especializado. Uma boa opção para o tratamento das dores de coluna é a Osteopatia, pois esta visa reequilibrar as estruturas musculoesqueléticas, restaurando as funções.

 

Veja alguns sinais que devem despertar a sua atenção para possíveis problemas na coluna: 

- Persistência da dor por um tempo prolongado. O paciente se queixa com dores que ultrapassam uma semana, normalmente.

– As dores nas costas costumam piorar após a realização de atividades simples do dia a dia (como varrer a casa) ou mesmo nas tarefas do trabalho.

– Além da dor, o paciente com alguma disfunção na coluna pode sentir outros sintomas como formigamentos e dormências nos membros inferiores ou superiores; a própria irradiação da dor para outros membros; dores de cabeça associadas a dores na região da nuca e que se prolongam para os ombros.

Nenhum tipo de dor na coluna deve ser ignorado, principalmente, quando o paciente detecta a presença de um ou mais dos sintomas listados acima. Mascarar a dor com o uso de medicamentos (por conta própria) ou “receitas caseiras” é colocar a saúde em risco. O ideal é investigar a causa das dores e demais sintomas com a ajuda de um especialista para que a raiz do problema (e não somente os efeitos que ele manifesta) seja tratada de forma adequada e efetiva.

 

Copyright © 2015 - Faculdade de Pindamonhangaba